terça-feira, 14 de outubro de 2014

O SUJO E O IMUNDO E VICE-VERSA





Dilma ou Aécio? Aécio ou Dilma? Com essas opções não se pode ter qualquer esperança de mudança. Aliás, mudar para esta gente significa que tudo continuará do jeito que está ou pior. Bem disse o ex-presidente FHC, O Entreguista, que o embate entre o PSDB e o PT era para decidir quem comandaria o atraso. E é verdade. Em apenas quatro anos Dilma Rousseff conseguiu sair da catástrofe dos governos que a antecederam para entrar no apocalipse. Dizer que a política econômica e fiscal praticada no atual governo é equivocada seria um eufemismo. É completamente nefasta ao país e, pior, criminosa. O PIB apresenta resultados ridículos, o déficit comercial assusta, a inflação cresce despudoradamente e é maquiada indecentemente, os juros são elevados, o que atende magnificamente aos banqueiros e outros abutres. A dívida interna consome mais de 200 bilhões de reais de juros anualmente e dona Dilma já lançou mão dos recursos do “Fundo Soberano” para fechar as contas de seu desgoverno medíocre, incompetente, mentiroso, perdulário e extremamente corrupto. A roubalheira na Petrobrás vem de longa data, porém no governo petista atingiu seu ápice. Dona Dilma Rousseff não deveria ser candidata a coisa alguma e sim presa com os demais ladrões, inclusive Lula. Para concluir a descrição de um governo calamitoso desses basta olhar à volta para constatar o completo abandono de tudo (educação, saúde, segurança pública, infraestrutura, etc.). Não confiaria a dona Dilma nem uma carrocinha de cachorro-quente no interior do Acre (com todo respeito aos vendedores de cachorros-quentes e aos acreanos). No primeiro turno das eleições o PT fez o que sabe fazer de melhor: caluniar, difamar, mentir, dissimular, falsificar, obstruir e, naturalmente e acima de tudo, corromper e se deixar corromper de todas as maneiras possíveis com orgulho. O Partido dos Trabalhadores não é e nunca foi uma agremiação partidária, mas sim uma organização criminosa. Dona Marina ao reagir palidamente aos termos da adversária aceitou participar de uma batalha assimétrica que esvaziou sua candidatura. A fragilidade de suas posições contribuíram em muito para afastar os eleitores. Porém, não foi apenas essas situações que a fizeram naufragar.



Ao acolher FHC em sua campanha Aécio Neves aprovou sem ressalvas sua catastrófica gestão. FHC doou diversas empresas estatais numa ação entre amigos. Amigos do poder, diga-se. Cia. Vale do Rio Doce, Telebrás, Cia. Siderúrgica Nacional para citar apenas algumas. Em 1995, primeiro ano do governo tucano, a taxa de juros atingiu “modestos” 85,4%, a maior do Universo para o regalo dos banqueiros e demais aves de rapina.  Comprou a reeleição em dinheiro vivo para si próprio. É natural que o eleitor desconfie de sua sinceridade ao defender mudanças ou permanências (como acabar com a reeleição, ampliar o Bolsa-Família e o programa Minha Casa, Minha Vida). Diga-me com quem andas e eu te direi quem é, diz o velho dito popular. Em se tratando dos políticos brasileiros nem é preciso dizer com quem andam. São todos da mesma laia e tanto faz quem anda com quem. Aos 25 anos (1985) Aécio foi contemplado pelo presidente Sarney com o “empreguinho” de vice-presidente da Caixa Econômica Federal e a única credencial que possuía era ser neto do recém falecido presidente eleito Tancredo Neves. O Ministério Público de Minas Gerais abriu inquérito para apurar os critérios que levaram o governo de Aécio Neves construir um aeroporto a seis quilômetros de sua fazenda e nas terras de seu tio-avô desapropriadas num processo rumoroso na cidade de Claudio. Não satisfeito construiu outro aeroporto na cidade de Montezuma onde, coincidentemente, possui uma fazenda. Construiu e reformou aeroportos particulares com recursos públicos. Ano passado Aécio Neves foi confirmado como réu numa ação civil pública por improbidade administrativa pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da área da saúde e pelo não cumprimento do piso constitucional do financiamento do sistema público de saúde no período de 2003 a 2008 (Agravo de Instrumento nº 1.0024.10.244832-1/001 nega a extinção do processo e Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002). Aécio também é acusado de repassar R$ 5 milhões para um aeroporto inexistente na cidade de Itabira. Em 2011 Aécio recusou-se a realizar o teste do bafômetro numa blitz policial na Zona Sul do Rio de Janeiro e apresentou uma carteira de habilitação vencida. O Senado Federal ignorou as “traquinagens” do senador. Mas, convenhamos, o Senado Federal e uma roda quadrada têm a mesma serventia.




Quase trinta milhões de eleitores se abstiveram, votaram brancos e nulos. É um percentual elevadíssimo para um país onde o voto é obrigatório. Isso demonstra o desinteresse e repudio dos cidadãos por eleições e candidatos. Um número tão grande como este é um sinal para os políticos de que, cada vez mais, o contingente de cidadãos descrentes no processo eleitoral recorra a outros instrumentos para efetivar as mudanças que tanto o país como seus cidadãos carecem. Não é mais possível enganar o eleitorado com uma boa retórica, desfraldar bandeiras reformistas ou entupir nossos ouvidos com discursos chulos e populescos onde a língua portuguesa é sistematicamente maltratada, a demagogia impera, a mentira é flagrante. As manifestações de junho de 2013 fossem de fato espontâneas e sem lideranças (fatos incomuns em qualquer manifestação, tem que ser muito imbecil para acreditar que todo o movimento foi combinado pela Internet ou por telepatia) e talvez o resultado do pleito deste ano tivesse sido diferente. Alguns “analistas” teimam na bobagem de que “a direita” cresceu. Que direita? Caso exista alguma no Brasil eu quero ser informado. Não duvido que no PSDB e DEM abriguem almas sinceras que se vejam direitistas, conservadores, liberais e cristãos. Estes poucos sequer são vozes solitárias clamando no deserto. Estão clamando no fundo do oceano onde rigorosamente ninguém poderá ouvi-los. Por enquanto a única “conquista” que as manifestações do ano passado é o arquivamento da PEC 37 que, diga-se, já estava condenada desde o momento que foi redigida. Porém, não comemorem, tão logo seja possível o governo petista ou tucano a ressuscitará num novo corpo. O PSDB faz parte do esquema de poder do PT. Em doze anos de governo petista o PSDB e seu apêndice DEM jamais se opuseram com convicção e firmeza aos descalabros do governo. Algumas vezes até latiram, mas nunca desejaram morder (com todo respeito aos cachorros). Até mesmo por ocasião da eclosão do escândalo do Mensalão em 2005 o senador do PSDB Artur Virgílio propôs que ferissem o presidente da República e não o matassem. Nem feri-lo com alguma competência conseguiram, posto ter sido reeleito no ano seguinte. Este mesmo senador declarou que “ficava feio” para o Brasil num espaço de treze anos afastar outro presidente por impeachment. Feio, humilhante, deprimente, odioso e catastrófico foi este presidente permanecer no cargo, ser reeleito, fazer sua sucessora e não ser acusado e julgado no escândalo do Mensalão quando é sabido em todas as galáxias que sempre fora o chefe da quadrilha. Com a corja de políticos que temos jamais haverá qualquer mudança para melhor. As eleições no Brasil não passam de uma farsa, um arranjo, uma conspiração. Portanto, conclui-se,  não será com esta legislação eleitoral que haveremos de ter representantes nos legislativos. Porém, não serão os atuais e futuros legisladores eleitos com a regra vigente que mudarão a legislação que tanto os enriquecem e protegem.




Mais uma vez realiza-se a disputa por cargos, posto que ideologia, projetos e propostas inexistem em todas as candidaturas. Nenhum dos pretendentes à presidência da República apresentou um projeto para o país. Limitam-se a mesma falácia de eleições anteriores recheada de demagogia e mentiras. O PT acusa o PSDB de haver governador para as elites, no entanto examinando os fatos pode-se concluir que os governos petistas (Lula e Dilma) não foram diferentes assim como os anteriores desde 1889 ou, se preferirem, 1534.  É o clássico exemplo do sujo falando do imundo ou vice-versa, dá no mesmo. Portanto, seja quem for o eleito nada aponta na direção de qualquer mudança. O comando do Brasil sempre foi disputado por duas categorias de partidos políticos e parlamentares, entre outros. A primeira constituída pelos que estão roubando e a segunda por aqueles que estão ansiosos por roubar. Atualmente disputam os que vêm roubando há doze anos e os que querem voltar a roubar, pelo menos por mais quatro.

CELSO BOTELHO

13.10.2014

sábado, 23 de agosto de 2014

DONA DILMA MENTE, SE IRRITA E PEDE VOTOS. QUE CARA DE PAU!





Na “entrevista” no Jornal Nacional (18.08) d. Dilma assegurou que a economia irá melhorar no segundo semestre, porém não mencionou de que ano ou século. Também pediu que fossemos menos pessimistas e, por fim, na maior cara de pau, pediu votos. O único voto que posso dar aos comunistas é o voto de que desapareçam da face da Terra para todo o sempre. Seria interessante se a senhora Rousseff nos dissesse como melhoraria a economia, posto que desde que assumiu a presidência da República ela só vem piorando. Os indicadores econômicos e sociais não contribuem em nada para deixarmos de ser pessimistas. Ao contrário, expõe o desastre de sua “desadministração”. Mas sua arrogância não recua um milímetro ao ser confrontada com os números que apontam para sua mediocridade, incompetência, omissão, descaso, inércia e conivência com os “malfeitos”.  Seu desequilíbrio emocional ficou visível quando instada a responder os questionamentos do “jornalista” que a entrevistava. Em todas as ocasiões que é questionada dona Dilma não consegue disfarçar sua irritação e tenho certeza que xinga mentalmente seu interlocutor com  palavrões que fariam o diabo corar. Comunistas quando são questionados e ficam encurralados seus olhos se enchem de ódio revelando seu desejo de exterminar os questionadores na mesma hora e à vista de todos. Dona Dilma em um momento responsabiliza a crise internacional pelo pífio desempenho da economia brasileira ao mesmo tempo recorre a mesma crise internacional para proclamar que a economia brasileira não foi atingida por ela. Precisa se decidir. Afinal, a crise prejudica ou não? Adiante afirma que o pessimismo está a atravancar o “pougréssio” do país. A presidente “tem um sonho”. O sonho de que sejamos todos idiotas suficientes para nutrir otimismo diante de resultados econômicos e sociais tão pífios, imorais mesmo.




Dona Dilma asseverou que o seu (des) governo foi o que mais combateu a corrupção. Recordar é viver. Antes mesmo de assumir o governo a então ministra Erenice Guerra foi afastada acusada de favorecer empresários e familiares. Erenice substituiu Dilma na Casa Civil e sua punição foi um ralho do inútil Conselho de Ética da Presidência da República. No primeiro ano do governo Rousseff seis ministros afastados por corrupção e até hoje nenhum deles sofreu qualquer punição (Alfredo Nascimento, Transportes; Wagner Rossi, Agricultura; Pedro Novais, Turismo; Orlando Silva, Esporte; Carlos Lupi, Trabalho e Mário Negromonte, Cidades). Em 2012 vem à tona o escândalo envolvendo a “amiga íntima” e companheira em viagens internacionais do ex-presidente Lula quando dona Mariza Letícia, esposa e papagaio de pirata do dito cujo. Dona Rosemary Nóvoa de Noronha, a tal “amiga íntima”, era chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, sinecura criada especialmente para ela. Rosemary empregou a filha, o ex-marido, o marido atual, amigos e o cacete a quatro. A venda de pareceres era o “forte” desta quadrilha. Os advogados desta “amiga íntima” de Lula desde 1993 são pagos pelo Partido dos Trabalhadores. O então ministro Fernando Pimentel, o queridinho de dona Dilma, “ganhou” milhões dos cofres públicos com “consultorias” a empresas que mantinham contratados com a prefeitura de Belo Horizonte à época que este pimpão a ocupava e palestras que jamais foram proferidas. Atualmente é candidato ao governo de Minas Gerais. A negociata da refinaria de Pasadena que lesou os cofres públicos em mais de US$ 1, 2 bilhão com a autorização de dona Dilma que, desarvorada como é, admitiu sua culpa ao declarar que aprovara a negociata mediante um parecer falho técnica e juridicamente. Dona Dilma disse ignorar que no contrato de compra da refinaria constavam as clausulas “put option” e Marlim. Presidente de Conselho de Administração de qualquer empresa que não atente para este “pequeno” detalhe está indiscutivelmente apto para presidir uma quitanda em Pimenteiras do Oeste em Rondônia, com todo respeito aos quitandeiros e a cidade mencionada.  A refinaria Abreu e Lima em Pernambuco orçada em US$ 3 bilhões em sociedade com a Venezuela de Hugo Chávez, já desencarnado, não pôs um centavo no empreendimento e já custou mais de US$ 20 bilhões e ainda não está pronta. Também devemos lembrar-nos dos bilhões já gastos nas obras de transposição do rio São Francisco e da ferrovia Transnordestina que ainda não estão concluídas, mas se tudo correr bem, ambas serão inauguradas uma semana após o dia do Juízo Final. A privatização dos portos, aeroportos e rodovias chegam a constranger o mais pilantra dos pilantras. A ministra Ideli Salvati, sócia-fundadora da ANABOL (Associação Nacional dos Baba Ovos do Lula) envolveu-se num esquema de compras de 28 lanchas para o ministério da Pesca. Negará a presidente a corrupção que rolou nas obras da Copa do Mundo? A entrega do petróleo do pré-sal aos interesses multinacionais, deve-se lembrar que ates de chegar à presidência da República dona Dilma era ferozmente contra estes leilões que ora patrocina. Que corrupção que a senhora Rousseff combateu? Só se foi em Marte. Toda esta roubalheira dona Dilma tem em conta como “malfeitos”, coisa de pouca monta em seu turvo entendimento. Dona Dilma chamou para o PT a criação da Controladoria Geral da União quando na verdade fora criada em 2001 pelo governo FHC com o nome Corregedoria Geral da União. Isso é apropriação indébita dona Dilma. O fabricante de postes, o “senhor” Lula, está convencido que descobrira o Brasil em 2003 e sua fabricada daqui a pouco irá dizer que foi ela quem o colonizou. Inquirida sobre o PT tratar os mensaleiros como vítimas alegou que não poderia opinar porque era chefe de um poder da República e não julgaria uma decisão do STF. Ora, com mil antas, ninguém estava querendo que julgasse o STF e sim questionando a posição de seu partido em transformar estes criminosos em vítimas, correndo até listas para arrecadar dinheiro para pagar as multas dos criminosos condenados.




Dona Dilma mente descaradamente quando afirma que resolveu o problema da saúde para 50 milhões de brasileiros com a contratação de médicos cubanos que, diga-se, possuem uma formação acadêmica questionável, se é que possuem alguma. A presidente fala que o Brasil precisa de uma reforma federativa, porém não explica que porcaria é essa. Provavelmente quis referir-se a uma reforma política que atenderá todas as premissas da esquerda. Inúmeros “movimentos sociais” estão articulados em defender a convocação de uma assembleia constituinte exclusiva para concretizar o sonho de transformar o Brasil numa imensa Cuba. Dona Dilma disse que a crise está sendo enfrentada sem desempregar, arrochar salário e aumentar tributos. Segundo o IBGE, o número de pessoas ocupadas, nos primeiros três meses deste ano, chegou a 91,2 milhões. Já a população desocupada, que está em busca de trabalho, somou sete milhões. Sete milhões de pessoas desempregadas significa que o país vive uma era de pleno emprego? A unificação de pesquisas e a metodologia utilizada pelo IBGE dificulta o cálculo mensal da inflação. O IBGE está aparelhado e produz resultados sob medida para o governo petista. Os salários estão arrochados não é de hoje. Sucessivos governos descumprem impunemente o que determina a Constituição Federal acerca do salário-mínimo. Ou dona Dilma entende que R$ 724,00 seja um salário digno? As desonerações do governo não aqueceram nem um grau a economia do país. Prova cabal disso são as projeções para o PIB deste ano e o eminente rebaixamento do Brasil pelas agências internacionais que apontam o risco do país. Para concluir eis a pérola da “mandatária” máxima da nação: “Estamos superando a dificuldade de superar uma crise sem demitir, sem reduzir a renda”. Superando a dificuldade de superar... Quem ensinou a presidente a língua portuguesa? Certamente foi o Lula. Paulinho da Força (um pelego de marca maior) foi muito generoso na televisão ao sentenciar que “dona Dilma devia estar na Papuda”. Iria desmoralizar aquela penitenciária. O ideal e mais seguro seria alojar esta criatura numa minúscula cela de 2 x 2 no fundo do oceano Atlântico


CELSO BOTELHO
23.08.2014



quinta-feira, 31 de julho de 2014

DILMA CULPA GOVERNO ANTERIOR AO ANTERIOR POR SUA INCOMPETÊNCIA





Só faltava essa: dona Dilma atribui o desastre de sua presidência ao governo Fernando Henrique Cardoso, marxista convicto e “juramentado”. "Nós somos herdeiros de uma situação ruim do ponto de vista público e privado". Esqueceu a guerrilheira de meia pataca furada que seu partido está no governo há quase doze anos? Mais de uma década não era o tempo suficiente para consertar eventuais equívocos e bagunças dos tucanos? Ou pelo menos algumas? Diante da “situação ruim publico e privado” porque o bebum de Rosemary não reviu as privatizados-doações realizada no governo FHC? Porque estava e está muito comprometido com o capital e dona Dilma também. Comunista não vive sem o capitalismo, está mais que provado. Reclama a “distinta” mandatária que ela e seu antecessor encontraram o país sem "projeto executivo e básico, não tinha carteira de projetos." Quanta cara de pau! Por acaso o seu governo teve algum? Não. Mostre. Vem tocando o governo aos trancos e barrancos, com as costumeiras lambanças e “malfeitos” (como gosta de referir-se a roubalheira no seu governo). Governa na base do improviso, patrocina e permite diversas operações lesa-pátria. Caso chame de projeto o fiasco e o desperdício de recursos públicos na obra de transposição do rio São Francisco; a Transnordestina onde já descarrilou trem por falta de dormentes; a refinaria Abreu e Lima orçada em US$ 3 bilhões e já ultrapassam os US$ 20 bilhões sem estar concluída; a patifaria da compra de refinaria de Pasadena; a roubalheira e o desmonte da Petrobras; a corrupção desenfreada; etc., etc., e bota etecetera nisso, neste caso urubu virou frango. O único projeto que tanto o Lula quanto dona Dilma estão empenhados é em implantar o projeto de regime de partido único, quer seja, somente o Partido dos Trabalhadores (tal denominação é uma afronta aos trabalhadores). Na prática isto já acontece. Nenhum dos mais de trinta partidos políticos ora existentes é oposição ao PT. Os nanicos, como Lula mesmo falou para José Dirceu em 2002, são fáceis de comprar e até estão ávidos para isso. Os grandes contentam-se com ministérios, estatais e autarquias e mergulham de cabeça no jogo. O PSDB está ai para desempenhar o papel de oposição, plantar e irrigar na mentalidade coletiva a ideia de que este país possui uma pujante democracia com situação e oposição polarizando as eleições entre dois grandes partidos. Estou sendo repetitivo, mas é a mais pura verdade: o PSDB é a direita da esquerda. Uma direita que a esquerda ama, venera e alimenta. Representam a clássica pantomima do bem contra o mal. Na verdade são todos bem mais que maus. Todos os partidos, direta ou indiretamente, são submissos ao PT e este ao Foro de São Paulo.  À esquerda os alimenta e ninguém morde a mão que alimenta.


Não satisfeita com o rosário de mentiras e fanfarronices dona Dilma reivindica para si a feitura de uma “verdadeira reforma tributária”. Todas – todas – as tentativas que o governo Rousseff utilizou ao longo de seu mandato para aquecer a economia frustraram-se por serem equivocadas, tímidas e inúteis. Dona Dilma acredita piamente que desonerar a folha de pagamentos de alguns setores da economia, reduzir o IPI do automóvel, geladeiras e fogões é uma reforma tributária. Que miudeza de pensamento. Afirmou a “gerentona” que “num eventual segundo governo dará prioridade a uma reforma tributária, ainda que a conjuntura política no Congresso não apoie a medida”. Em outras palavras: não haverá reforma nenhuma devido ao comprometimento da presidente para reeleger-se. A senhora Rousseff defende a existência de 39 ministérios, mesmo não sabendo o nome de mais da metade de seus ocupantes. O loteamento do governo e as sinecuras estarão garantidos. Os rabos estarão presos uns aos outros. Os indicadores econômicos e sociais desmentem dona Dilma, por maior que seja o empenho dos próprios órgãos públicos para camuflar os números reais.  Reforma tributária, reforma política, reforma da previdência, reforma da reforma são motes para campanhas eleitorais há muitos anos. E por falar em motes dona Dilma está utilizando um hilário: “a verdade vencerá o pessimismo”. A verdade de dona Dilma e seus asseclas são de mentira. Diante do caos na economia, a corrupção na administração pública (federal, estaduais e municipais), no Congresso Nacional e no Judiciário o mais renitente dos otimistas passaria a ser pessimista e o mais fanático dos crentes se tornaria um ateu. A reforma política somente será concretizada caso o PT esteja no comando. O Decreto-Lei 8.243/14 cria e concede poderes para os tais “conselhos populares”. Isto é parte da reforma política que a esquerda revolucionária vem empreendendo há décadas. A revolução cultural esquerdista data do início dos anos 1960. Os esquerdistas foram ocupando os espaços e dominando-os de tal maneira que hoje quem diverge do discurso esquerdista é perseguido, xingado, ofendido e excluído de todas as formas. Mesmo no círculo imediato de convivência sofrerá reprimendas, repressões e desprezo. Como tenho dito ser democrata no Brasil é quase um crime, ser conservador uma heresia e cristão um pecado mortal. A proposta de Assembleia Constituinte exclusiva sugerida por Dilma Rousseff por ocasião das manifestações de junho de 2013 foi ressuscitada e hoje “movimentos sociais” aderiram a ideia e prometem sair às ruas para exigir que seja instalada. Certamente que não será uma reforma política e sim a elaboração de uma Constituição à imagem e semelhança dos comunistas e fascistas. Estes mesmos “movimentos sociais” que servem aos propósitos esquerdistas serão devidamente perseguidos e extintos uma vez que consigam dominar o Estado de uma vez por todas. A presidente saiu-se com esta “tentamos várias vezes aprovar reforma política. Acredito que uma grande mobilização popular pode criar legitimidade e força para reforma política.” Mas que diabo de presidente da República é esta senhora? Um projeto de iniciativa do poder executivo não é legítimo o bastante para forçar o debate no parlamento? O presidente da República não tem que aprovar nada. Isto é competência do Congresso Nacional. Dona Dilma reconheceu publicamente sua fragilidade política ao dizer que “no primeiro ano os governos têm maior força política”. Deixa dizer duas coisas. Primeiro: deve referir-se somente ao seu período e desde o momento que o fabricante de postes a impôs como candidata esta senhora não tinha nenhuma força política. Ao contrário, era (e é) amplamente rejeitada dentro de seu próprio partido. Segundo: Juscelino Kubitschek governou o país durante cinco anos e quando passou a faixa presidencial em 1961 era o favorito para as eleições de 1965. O golpe civil-militar de 1964 o impediu. JK teve força política durante todo o seu mandato e depois dele.


Outra fala presidencial que deixa óbvia as intenções da esquerda revolucionária "queremos construir um marco regulatório do trabalho compatível com a economia do século 21. Deve estar, sim, estruturado em torno da negociação coletiva". Trocando em miúdos: rasgar a CLT e extinguir todos os direitos dos trabalhadores e os sindicatos. Para dizer a verdade os sindicatos que existem no Brasil só se prestam a produzir maus elementos (Lula, Paulinho da Força, Medeiros, Paulo Okamoto, etc.) para manipular a opinião pública em favor de seus objetivos pessoais e partidários. Uma corja de pelegos falastrões e safados.


Em se tratando de energia dona Dilma não poupou confetes e paetês para si própria ao afirmar que seu (des) governo “fez o dever de casa” e a possibilidade de racionamento está afastada. Em fevereiro deste ano seu ministro das Minas e Energia Edison Lobão, cujo conhecimento na área começa e termina em ligar e desligar um interruptor também concedeu entrevista afirmando “não enxergamos nenhum risco de desabastecimento de energia” e “o governo está trabalhando para que o nível dos reservatórios seja elevado”. A miopia do governo evoluiu para a mais completa cegueira. Como será que elevará o nível dos reservatórios? Será que aprendeu a dança da chuva com os índios? Ou tem algum acordo com São Pedro? Um dia depois dessas fanfarronices São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná tiveram apagão. De acordo com o ONS (Operador Nacional do Sistema) mais de um milhão de residências foram afetada. Segundo as estimativas da EPE (Empresa Paulista de Energia) os reservatórios no Sudeste enfrentam a pior situação desde 1953, o que aumenta o risco de racionamento. Mas tanto a presidente quanto o ministro desconhecem esta informação. Em janeiro do ano passado disse dona Dilma no pronunciamento na televisão, textualmente: “algumas pessoas, por precipitação, desinformação ou algum outro motivo, tem feito previsões sem fundamento quando os níveis dos reservatórios [das hidrelétricas] baixaram... como era de se esperar, essas previsões fracassaram. O Brasil não deixou de produzir um único quilowatt que precisava e, agora, com a volta das chuvas, as térmicas voltarão a ser menos exigidas”.  Tai São Paulo sem água. Ou será que a presidente ao dizer que as chuvas voltaram estava se referindo as moções no Serengueti? Dona Dilma prometeu uma redução de até 18% nas contas de energia elétrica para residências e 32% para indústrias. E como se explica o reajuste que passou a vigorar no último dia 22 com validade até 23 de junho de 2015 de, em média, 24,86%, conforme resolução nº 1763 da ANEEL? Que energia barata é essa ó guerrilheira da meia pataca furada?


Sobre a inflação ai mesmo que dona Dilma viajou na maionese. Garantiu, como se suas palavras merecessem qualquer crédito, que encerrará 2014 dentro da meta de 6,5%. A meta está estourada. Certamente que o governo irá manipular os números para que se encaixe neste percentual. Afinal, para que existe a “contabilidade criativa”? Para transformar resultados negativos em positivos ou, pelo menos, aceitáveis. A senhora Rousseff observou um fenômeno da inflação em terras tupiniquins: “a inflação no Brasil é muito interessante: no primeiro semestre do ano ela sobe e no segundo ela cai. Todo ano é assim. Ela está completamente sob controle.” A explicação é simples: no segundo semestre os governos correm para distorcê-la, maquiá-la, enquadrá-la. De acordo com o Banco Central, O Carimbador Maluco, de janeiro à junho deste ano as despesas avançaram 10,6% enquanto que as receitas avançaram 7,2%. Como será que explicará o desempenho ridículo da economia brasileira durante toda sua gestão? O que poderá dizer ao cidadão sobre esta colossal dívida interna que supera em muito a casa dos dois trilhões? Dirá que tem contingenciado verbas cruciais para a melhoria e manutenção dos serviços públicos e para os investimentos para formar superávit primário para pagar juros aos banqueiros? Dona Dilma não deveria ser candidata nem a vereadora de Jacaré dos Homens em Alagoas.


Tenho combatido e denunciado o PT, o Foro de São Paulo, o Lula, a Dilma, seus associados, comparsas e cúmplices. É uma obrigação moral dos brasileiros de bem remover estes comunistas do poder e da vida pública porque a cada dia que permanecem no governo o Brasil se afunda mais e se afasta da democracia, dos valores éticos e morais e dos ensinamentos cristãos. Não existe esquerda democrática, socialismo democrático ou qualquer outra baboseira nesse sentido. A esquerda é, por definição, autoritária, totalitária e arbitrária. Qualquer discurso contrário é pura enganação. Não aponto nem recomendo qualquer candidato à presidência da Republica. Com a legislação que possuímos as eleições no Brasil não passam de fraudes institucionalizadas. Os candidatos não merecem qualquer confiança, representam interesses particulares e corporativos. Somente a sociedade possui o poder de transformar mobilizando-se, removendo as aves de rapina e exigindo respeito para si e para os recursos que faz chegar aos cofres públicos através dos impostos. Não há outro caminho.

CELSO BOTELHO
31.07.2014




quarta-feira, 30 de julho de 2014

O SUJO CENSURANDO O IMUNDO OU VICE-VERSA






Dona Dilma Rousseff, a exemplo de seu antecessor, fala sobre tudo tendo conhecimento de quase nada. Sobre o confronto que está acontecendo entre israelenses e palestinos declarou que Israel está cometendo um massacre quando sua ofensiva é claramente de caráter genocida.  Por certo que dona Dilma deve considerar as milhões de pessoas mortas e mutiladas por seus ídolos Lenin, Stalin, Mussolini, Generalíssimo Franco, Mao Tse Tung, Fidel Castro e outros rebotalhos humanos como um “ajuste” à nova ordem. Nem massacre nem genocídio.  “Genocídio é o extermínio ou a desintegração de uma comunidade pelo emprego deliberado da força, por motivos raciais, religiosos ou políticos, entre outros.” Registre-se que os palestinos não são, de forma alguma, os mocinhos.


Não bastassem as lambanças que Lula da Silva e Celso Amorim cometeram na diplomacia brasileira dona Dilma também quer que registremos no panteão dos inaptos, incompetentes, medíocres, etc. seu nome com destaque. Celso Amorim tornou o Brasil signatário da Declaração Universal dos Direitos das Nações Indígenas na ONU e caso seja ratificada pelo Congresso Nacional as mais de 200 nações indígenas espalhadas pelo país poderão pleitear sua independência política, econômica e administrativa recorrendo, se preciso, a ONU para garantir-lhes. E o que fizeram com Celso Amorim? Ganhou o ministério da Defesa com ampla rejeição dos comandos da Marinha, Exército e Aeronáutica que em nota através do Clube Militar afirmaram não reconhecerem nele autoridade nem legitimidade. A ideologia que a senhora Rousseff abraçou na juventude (não parece, mas um dia foi jovem) e que ainda a emociona e arrepia começou no Colina (Comando de Libertação Nacional) e depois no VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária – Palmares) é responsável por mais mortes que as duas Grandes Guerras somadas, mais de cem milhões. Sendo assim dona Dilma, Franklin Martins, Fernando Gabeira, Fernando Pimentel & Camarilha são responsáveis moralmente por todas essas mortes, mutilações e miséria provocada pelo comunismo ao redor do mundo. Dona Dilma, seu partido e toda a esquerda são PhD em massacre, posto que os governos petistas venham impingindo-o sobre a população e as nossas instituições dilacerando-as e deformando-as para destruir o Estado brasileiro abrindo caminho para implantar seu projeto de partido único e onipresente. O PT providenciou para que o Estado brasileiro fosse incapaz de executar suas funções mais comezinhas. Esta sempre fora uma estratégia da esquerda. Debilitar o Estado desde dentro e de tal maneira que a própria sociedade clamaria por mudanças e estas seriam implantadas à imagem e semelhança do comunismo. O dia que comunista for leal, decente e honesto o Zimbabwe será a maior economia do planeta.


Não satisfeita com a patacoada resolveu reforçá-la, textualmente: “Não podemos aceitar impassíveis a escalada de violência entre Israel e Palestina. É necessário ressaltar nossa mais veemente condenação ao uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza, do qual resultou elevado número de vítimas civis, incluindo mulheres e crianças.” Saindo da boca de uma comunista é pura piada. Dona Dilma se diz contra o uso desproporcional da força então se entende que é inteiramente a favor do uso da força proporcionalmente. Mas o que seria o uso da força proporcionalmente na escala de dona Dilma? Como avaliar a proporção nesta situação específica? Segundo a presidente “não podemos aceitar impassíveis a escalada de violência entre Israel e Palestina” então somente lá que não podemos aceitar? Aqui no Brasil a escalada da violência não tem a mínima importância?  Disse também que o conflito tem o potencial de desestabilizar a região. Dona Dilma faltou as aulas de História. Aquela região é conflituosa e, portanto, instável há milênios. Numa pretensão descabida, talvez se imaginando uma estadista (mesmo tupiniquim) e “hiperultradimensionando” o lugar do Brasil no contexto internacional, passou um ralho nos dois países como se fossem duas crianças traquinas “por isso reiteramos a questão do cessar-fogo imediato, abrangente e permanente.” No último dia 23 o Brasil criou uma crise diplomática com Israel ao convocar de volta o embaixador brasileiro em Tel Aviv, Henrique Sardinha. É essa a diplomacia brasileira?  O porta-voz da chancelaria israelense deu a dimensão exata do Brasil: "anão diplomático". Esse constrangimento poderia ter sido evitado no caso de alguém de bom-senso, habilidade política e plenamente ciente da delicadeza da situação apontasse que esta decisão provocaria reação negativa imediata por parte do governo israelense. Exemplo de lambança recente foi a do ex-ministro Antônio de Aguiar Patriota no caso da fuga do senador boliviano Roger Pinto Molina para o Brasil. Em 2012 este parlamentar boliviano refugiou-se na sede da missão diplomática brasileira em La Paz alegando perseguição política e a seguir solicitou ao governo brasileiro asilo político permanecendo no prédio para evitar ser preso pelas autoridades bolivianas. Ali ficou durante quinze meses. Nem o governo boliviano lhe concedia salvo-conduto e nem o governo brasileiro respondia a solicitação de asilo. Até que o diplomata brasileiro Eduardo Saboia, responsável pela missão, decidiu solucionar o problema. Roger Pinto Molina foi retirado de La Paz num automóvel da embaixada brasileira com escolta de fuzileiros navais até Corumbá onde foi recebido pela Polícia Federal brasileira e embarcado num avião para Brasília. Foi uma cagada espetacular. Patriota foi substituído por Luiz Alberto Figueiredo, mas não pensem que ficou ao relento. Foi agraciado com a chefia da Delegação Brasileira na desprestigiada, inútil e desengonçada ONU. Quanto a Saboia foi suspenso das funções tornando-se um pária no ministério sem função, gratificações, etc. Até abril deste ano não decidiram se irão puni-lo. Mas porque haveriam de puni-lo? Porque Evo Morales é da mesma laia de Lula da Silva e Dilma Rousseff e este senador denunciou o envolvimento do índio cocaleiro no tráfico internacional de drogas.


A senhora Rousseff,  junto com os demais esquerdistas é responsável moralmente por todos os genocídios e massacres promovidos pelos comunistas vem a público repudiar algo pelo qual sempre lutou e defendeu. Cidadãos morrendo sem acesso ao sistema de saúde; pessoas infectadas por falta de saneamento; crianças e jovens sendo recrutados para o crime; tráfico de drogas campeando no país fazendo-o um dos maiores consumidores do mundo; mais de cinquenta mil homicídios por ano; sistema educacional que não atende as mínimas exigências pedagógicas para a formação dos cidadãos; força policial truculenta, arbitrária e corrupta; as montanhas de dinheiro público surrupiadas para locupletar os cafajestes que se empoleiram no poder; as obras de infraestrutura superfaturadas, inacabadas e até absurdas; a dívida interna comprometendo o país; etc. tudo isso é massacre. Pode não ser da invenção do PT, porém é de sua inteira responsabilidade.  Então dona Dilma antes de falar em massacre no Oriente Médio considere o massacre contra seus compatriotas que a senhora, seu antecessor e o antecessor do seu antecessor submetem a população.


CELSO BOTELHO

30.07.2014     

quinta-feira, 24 de julho de 2014

E POR FALAR EM MORALIDADE...






Quando a operação lesa-pátria veio à tona dona Dilma Rousseff, em nota oficial da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, confessou o crime. A presidente Dilma Rousseff afirmou que aprovou a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobrás com base no parecer da diretoria internacional da empresa que se revelou "técnica e juridicamente falho". Segundo a nota "a autorização para a compra dos primeiros 50% havia sido feita com base em informações incompletas". Que diabo de presidente de Conselho é esta que aprova uma compra desse calibre sabendo, de antemão, que o parecer de Nestor Cerveró era “técnica e juridicamente falho”? E os demais conselheiros? Dona Maria da Graça Foster, presidente da Petrobrás, foi depor no Congresso Nacional. Uma vez afirmou que a compra do trambolho da refinaria foi um bom negócio, outra vez disse o contrário. Que executiva mais relaxada e incompetente. Jorge Gerdau, o homem do aço, afirmou na época que o Conselho fora contra a aquisição da refinaria de Pasadena. O Estatuto da Petrobras determina que as decisões sejam tomadas pelo Conselho com base em parecer jurídico completo e não somente em resumos técnicos. No dia 23 do corrente mês, o procurador-geral da República Rodrigo Janot determinou o arquivamento de representação apresentada por congressistas (Randolph Rorigues, PSOL-AP; Cristovam Buarque, PDT-DF; Ana Amélia, PP-RS; Jarbas Vasconcelos; PMDB-PE; Pedro Taques, PDT-MT; Pedro Simon, PMDB-RS; Rodrigo Rollemberg, PSB-DF e do deputado federal Ivan Valente, PSOL-SP) solicitando que fossem apuradas “supostas” irregularidades praticadas pelo Conselho de Administração da Petrobrás presidido pela senhora Rousseff, então ministra da Casa Civil. Para Janot os documentos apresentados pela Presidência da República "afastam a acusação de conduta dolosa ou culposa que possa ser atribuída ao Conselho de Administração da Petrobras de ter dado causa aos prejuízos advindos da referida operação, sendo desnecessário o prosseguimento da instrução". Então esse tal Conselho é uma prova irrefutável de constituir-se mais uma sinecura desta emporcalhada República. Para que existe? A senhora Rousseff já admitiu o crime publicamente através de sua Secretaria de Comunicação. Nota oficial não vale? Sua confissão é suficiente para afastá-la da presidência da República e abrir processo de impeachment. Mas o que esperar dos canalhas empoleirados nos três poderes? Decência, honestidade, moralidade são motivo de galhofas para petistas e adjacências. Nos governos petistas vale tudo: corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, superfaturamento, falsidade ideológica, prevaricação, peculato e mais o que se queira praticar, desde que seja ilegal, imoral ou crime. Lula foi poupado no Mensalão. Agora é a vez de Dilma ser poupada. Janot não é lagoa, mas refrescou o traseiro de todo Conselho. O procurador-geral concluiu que as “instâncias ordinárias” é que deverão apurar “eventuais prejuízos”. Ora essa!


O TCU (Tribunal de Contas da União) colocou em indisponibilidade os bens de onze executivos da Petrobrás, inclusive o “digníssimo” José Sergio Gabrielli devido ao prejuízo à estatal da bagatela de US$ 792,3 milhões com a aquisição da refinaria. Mesmo que o procurador-geral da República Rodrigo Janot não tenha percebido a pratica de qualquer irregularidade ou crime na atuação do Conselho. Notinha para o Janot: omissão, descuido, negligência e falta de zelo pelo que é público é crime.  Ao mesmo tempo o TCU fez-se lagoa também excluindo a senhora Rousseff por unanimidade e os demais conselheiros, entre eles o corruptíssimo Antônio Palocci e Jaques Wagner, atual governador da Bahia. De acordo com a Ata 1.268, de 3 de fevereiro de 2006, no item cinco, mostra a posição unânime do conselho mesmo já havendo, à época, questionamentos sobre a refinaria, considerada obsoleta (construída em 1934). Alguém da quadrilha está mentindo. No início da lambança Jorge Gerdau declarou que o Conselho foi contra a aquisição. Agora o TCU alega que o mesmo Conselho foi unanimemente a favor da aquisição. Em abril deste ano José Sérgio Gabrielli dizia, textualmente: “Eu sou responsável. Eu era o presidente da empresa. Não posso fugir da minha responsabilidade, do mesmo jeito que a presidente Dilma não pode fugir da responsabilidade dela, que era presidente do Conselho. Nós somos responsáveis pelas nossas decisões. Mas é legítimo que ela tenha dúvidas”. Gabrielli confessa o crime e aponta para Dilma Rousseff e o TCU exclui a presidente e os onze conselheiros? O relator ministro José Jorge aceitou a confissão de dona Dilma e demais conselheiros de que aprovaram a negociata mediante um parecer “técnica e juridicamente falho” como argumento para livrar suas caras. O ministro substituto André Luiz de Carvalho questionou a retirada dos integrantes do Conselho como responsáveis, mas refrescou dona Dilma. Disse Carvalho: “sou pela inclusão do conselho de administração no rol. Ao longo de toda a leitura do seu voto (de José Jorge, relator), consultei a lei 6.404, das Sociedades Anônimas, e se diz na lei que compete ao Conselho de Administração eleger e fiscalizar a atuação diretores. Então, o fato de não ter acesso a uma informação permite excluir a responsabilidade criminal, mas na questão civil não é afastado”. O traquinas do diretor Nestor Cerveró sacaneou todos ao esconder as clausulas Merlim e Put Option. Porque diante de um negócio de tal magnitude dona Dilma e os conselheiros não solicitaram mais informações? Estavam disponíveis. Mas para não dizer que tudo está perdido o ministro José Jorge assegurou que dona Dilma e seus conselheiros amestrados ainda podem ser responsabilizados no futuro. Provavelmente no dia seguinte ao Juízo Final. O TCU, pelo menos por enquanto, reclamou as cabeças dos ex-diretores. Além de responsáveis pela roubalheira ainda serviram de bode expiatório para salvar a presidente da República.


Uma decisão envolvendo centenas de milhares de dólares foi aprovada com base num “resumo executivo” apresentado por Nestor Cerveró, então da diretoria internacional. Quanta ingenuidade! Dona Dilma só se colocou contra a compra dos outros 50% da refinaria, mas ai a vaca já fora para o brejo. Havia as clausulas Marlim (Pasadena teria que garantir 6,9% de rentabilidade mínima a um dos sócios, Astra Oil, independentemente dos resultados) e Put Option (dá direito a um acionista de alienar sua participação acionária a outro acionista signatário do acordo, que, por sua vez, é obrigado a adquiri-la), esta última é uma clausula adotada costumeiramente em aquisições de grandes empresas.  Mas dona Dilma afirmou que “não sabia” destas clausulas, bordão preferido do fabricante de postes Lula da Silva. A Astra Oil recorreu a justiça americana. Causa ganha. Estava no contrato. A Petrobrás pagou cerca US$ 1,25 bilhão por uma porcaria de refinaria adquirida pela Astra por US$ 42,5 milhões em 2005. Isto é mais que um negócio da China. É um negócio de Brasília. Incompetente, inapta e irresponsável. É o mais elegante que tenho para dizer no momento de dona Dilma Rousseff.


Enquanto isso a Justiça Federal mandou intimar o candidato à presidência da República Eduardo Campos e o ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra para depor no processo sobre lavagem de dinheiro desviado das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Ambos arrolados como testemunhas da defesa de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, que ora se encontra preso por conta de seus “malfeitos” na Petrobrás. Eduardo Campos quando seu avô Miguel Arraes foi governador foi nomeado secretário de Fazenda do bom e velho estado de Pernambuco sendo acusado de forjar documentos para a emissão de títulos. Como é de se esperar em 2003 foi inocentado de falsidade ideológica e crime contra o Sistema Financeiro Nacional. Pronto. Virou ministro da Ciência e Tecnologia no governo do sapo barbudo (royalties para Leonel Brizola). Quando Paulo Roberto Costa o arrolou com testemunha de defesa a assessoria de Eduardo Campos emitiu nota, textualmente: “Acreditamos que quem está mais capacitado para falar da atuação de Paulo Roberto Costa na Petrobrás são as pessoas que o nomearam e o mantiveram no cargo.” Não é preciso dizer mais nada. Eduardo Campos salta de banda e aponta para o governo petista que até pouco tempo atrás era seu aliado e cúmplice. Quanto a Fernando Bezerra Coelho nomeou o tio Oswaldo, também Coelho, como membro do comitê técnico-consultivo para o desenvolvimento da agricultura irrigada (êta nome bonito!), criado por uma portaria do ministério. A patifaria é tão escancarada que chegam a criar comitês, conselhos, departamentos e mictórios para abrigar parentes e aderentes. O jornal a Folha de São Paulo chegou a noticiar que o ministro comprou por duas vezes o mesmo terreno quando era prefeito de Petrolina utilizando-se, é claro, de verba pública. Clementino Coelho, irmão do ministro, perdeu a presidência da Condevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba), uma boca e tanto. Mas, como prêmio de consolação ficou como diretor de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura. O maninho do ministro permaneceu quase um ano como presidente interino gozando de todas as regalias políticas do cargo contrariando um decreto presidencial que proíbe a nomeação de familiar de ministro. A CGU entendeu que o decreto não fora atacado, posto que Clementino ocupasse a interinidade antes da nomeação do irmão. Bem se a regra vale para Chico também vale para Francisco. A deputada Jaqueline Roriz (pimpolha do corruptíssimo Joaquim Roriz) flagrada em vídeo recebendo propina exibido em todas as emissoras de televisão do Brasil e do Universo alegou que o fato se deu antes de ser deputada federal. O blindadíssimo ex-ministro Fernando Pimentel, companheiro de armas da guerrilheira de meia pataca furada, ganhou milhões com “consultorias” antes de ser nomeado ministro, inclusive de empresas públicas para realizar palestras que jamais foram proferidas. Tais “malfeitos” (royalties para Dilma Rousseff) foram cometidos antes de assumirem seus cargos. Krocodilus informa: Aviso aos navegantes: caso aspire entrar para a política cometam seus crimes antes de ser eleito ou ser nomeado assim estarão com a impunidade assegurada. Esses dois sujeitos que testemunharão na defesa de Paulo Roberto Costa? Égua! A Justiça quer saber por que a Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, inicialmente orçada em US$ 3 bilhões já consumiu cerca de US$ 20 bilhões e ainda não está pronta. Afianço a Justiça Federal que no meu bolso ou na minha conta bancária não estão.


Para concluir o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho, O Espião Que Veio Do Nada e também moleque de recados entre o governo e os ditos “movimentos sociais” afirmou que o governo (sic) irá enfrentar “até o fim” a oposição que se levanta contra a aberração também conhecida por Decreto-Lei 8.243/14 que institui o Programa Nacional de Participação Social que cria “conselhos” populares constituídos à imagem e semelhança do Partido dos Trabalhadores, Foro de São Paulo e Penduricalhos. Esta estrovenga solapa do cidadão o direito de livre escolha de seus representantes garantido na Constituição Federal que, por sinal, só representam seus interesses e de associados e usurpa prerrogativas do Congresso Nacional. Este decreto criará um Estado paralelo. Não é inédito entre os países que experimentaram ou ainda vivenciam o regime comunista. É parte da estratégia da esquerda utilizar estes artifícios para atender suas premissas. Na prática já estamos num regime de partido único. A oposição é inexistente. O PSDB e penduricalhos são a direita da esquerda. A direita que todo esquerdista aprecia, venera e alimenta. A esquerda vem trabalhando há décadas para chegar ao poder e mantê-lo indefinidamente controlando 100% a política e a economia. O X-9 do Lula no Palácio do Planalto arrematou com a bravata "nós não recuaremos, não retiraremos o decreto, vamos até o fim. Se houver derrota, quem pagará pelo preço são aqueles que se colocam contra essa participação." Gilberto Carvalho sabe que sairão ganhando em qualquer um dos desfechos. Permanecendo o decreto recolherão os louros apregoando aos quatro ventos que o PT incluiu as minorias como participantes das politicas públicas e toda essa baboseira. Caso o decreto seja revogado também apregoarão aos quatro ventos que a “oposição” elitista, capitalista (como se comunista vivesse sem o capitalismo) não permitiu o acesso das minorias nas decisões do governo. De qualquer maneira o idiota da esquina irá acreditar e impregnar-se até a alma do discurso da esquerda repudiando, rejeitando e denunciando qualquer um que não esteja contaminado pela esquerda.  Na semana passada, a obstrução do PT impediu que a Câmara votasse o projeto que suspende os efeitos do decreto. Para Gilberto Carvalho a aberração 8.243 é um “decreto tímido”. Ora, vá catar coquinhos, seu pulha. Vejam a “timidez”:  Artigo 2º do Decreto considera como sociedade civil “o cidadão, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e suas organizações”. Em outras palavras: o PT & Quadrilheiros Associados no controle.


Todos os governos após a criação da Petrobrás usaram e abusaram da estatal para os mais diversos fins políticos, econômicos, eleitorais, partidários, pessoais, corporativos, etc. Dos dezoito presidentes da República que assumiram após a criação de Petrobrás apenas cinco nomearam um único presidente para a entidade. Getúlio Vargas se suicidou, Café Filho foi deposto, Nereu Ramos governou por pouco mais de dois meses, Jânio Quadros renunciou com sete meses no governo e Itamar Franco que fora concluir o mandato de Fernando Collor. Carlos Luz não conta, ficou apenas três dias na presidência da República. Merece ser destacado o japonesinho Shigeaki Ueki, presidente da Petrobrás de 1979 a 1984 no apagar das luzes do regime militar. Atualmente reside no Texas, EUA, e tem mais poços de petróleo que a família Bush. Mas não foi o único a enriquecer na estatal. A aquisição da refinaria de Pasadena e a construção da Refinaria de Abreu e Lima são apenas a ponta do iceberg. A CPI da Petrobrás foi criada para não apurar coisa alguma como, aliás, é a praxe.


CELSO BOTELHO

25.07.2014 


segunda-feira, 21 de julho de 2014

CRISE MORAL



Vários tipos de crise podem atingir um país. A econômica e a financeira são as mais visíveis porque atingem todos os setores e suas consequências são imediatas. Outro tipo de crise que produz resultados funestos é a crise de identidade nacional. Um povo que ocupa geograficamente o mesmo território que se presume unificado, geralmente mediante o uso da força, pode abrigar etnias completamente distintas e hostis entre si. A antiga Iugoslávia é um bom exemplo. Ocupavam o mesmo território croatas, bósnios, eslovenos, macedônios, montenegrinos, sérvios e cossovanos. Com a desintegração da URSS e do regime comunista nos países do leste europeu os conflitos estabeleceram-se provocando a morte de centenas de milhares das várias etnias.  Países europeus na Partilha da África estabeleceram fronteiras levando em conta somente seus interesses. Tribos tradicionalmente inimigas passaram a conviver no mesmo território. Mesmo após a saída dos europeus do continente africano as lutas e os massacres não cessaram. Na Espanha populações de várias regiões não se reconhecem como sendo espanhóis e os bascos são o exemplo mais emblemático. Todas, no entanto, reclamam tempo. Não se pode resolver estas crises nem a curto nem em médio prazo. A crise de identidade nacional é a mais complexa de todas e talvez insolúvel, dado sua natureza. As crises podem ser desastrosas ou catastróficas. O Brasil já passou e ainda passa por diversas crises. Porém, a crise mais profunda e lamentável que sempre caracterizou nossa nação e da qual não nos livramos é a crise moral. Esta tem nos garantido uma péssima reputação entre as nações. A honestidade é quase um crime em nosso país. Valores éticos quase que um delito hediondo. Ser conservador uma heresia.


Que o Estado brasileiro, desde seus primórdios, vem sendo moldado e manipulado por gente sem convicções, escrúpulos, competência, decência é público e notório. Porém, a partir do golpe militar que implantou a República as práticas criminosas robusteceram-se, inovaram-se, sofisticaram-se. As classes dominantes, através dos séculos, recusaram-se a respeitar os limites entre o público e o privado; o clientelismo está estabelecido desde as Capitanias Hereditárias. A corrupção é sistemática e observada em todas as camadas da população. A escala de valores morais vem sendo distorcida e invertida em qualquer sistema de governo que o país utilize (monárquico ou republicano). Por melhor que se conceba e estruture-se o Estado por certo não resistirá aos constantes ataques perpetrados pela classe dominante, pelos políticos, pelos governos e pelos governados. O Estado brasileiro está corroído, putrefato, imprestável e inútil. Qualquer tentativa de reformá-lo estará fadada ao fracasso tal o grau de deterioração. Deve ser repensado e refundado, mas não com os bandidos que vêm ocupando o poder. Se todo poder emana do povo nada mais natural que ele o exerça em todas as suas dimensões.


Segundo está noticiado na grande imprensa 23% dos conselheiros de Tribunais de Contas dos Estados respondem ações na Justiça. Os 27 TCEs possuem 189 conselheiros (2/3 indicados pelo Legislativo e 1/3 pelo Executivo) Ao invés de examinarem os gastos públicos, apontar irregularidades, detectar superfaturamentos e prevenir o desperdício do dinheiro público os conselheiros lançam-se de corpo e alma na prática dos mais diversos crimes. Tem crime para todos os gostos: corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, peculato, prevaricação, nepotismo, pedófilos e até homicidas. De acordo com o site do Transparência Brasil, o conselheiro Luiz Eustáquio Toledo foi condenado a seis anos de prisão por matar a própria mulher em 1986 e, neste mesmo ano, nomeado para o TCE de Alagoas. A Constituição Federal exige que os candidatos a conselheiros possua “idoneidade moral”, “reputação ilibada” e “notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública”. Nenhum desses critérios é respeitado. Conselheiro é um cargo eminentemente político, quer seja, qualquer besta quadrada ou bandido pode ocupá-lo. O que vai contar será sua proximidade com os poderosos. Tem conselheiro tão envolvido em práticas criminosas que foram proibidos até de entrar nos tribunais. No TCE do Rio de Janeiro seu presidente Jonas Lopes de Carvalho Júnior e o conselheiro Jose Gomes Graciosa (e isso lá é sobrenome?) são acusados na Ação Penal 685 de receber dinheiro entre 2002 e 2003 para aprovar um contrato sem licitação. A rede de proteção que os criminosos possuem é imensa e bem resistente. No STJ a Ação Penal 691 acusa de falsidade ideológica, peculato em continuidade delitiva, corrupção ativa e prevaricação o presidente do TCE do Rio de Janeiro e os conselheiros Aluísio Gama e Júlio Lamberstson Rabello. Porém foi rejeitada por unanimidade. Em 2010 a Operação Mãos Limpas prendeu, entre outros, o ex-governador Waldez Goes acusado de desviar recursos públicos da educação e outras áreas no Amapá. Este mesmo cidadão é candidato este ano. Nesta mesma Operação foram acusados de desviar a bagatela de R$ 100 milhões do TCE Amapá cinco conselheiros, três servidores e dois conselheiros aposentados. E por falar em ex-governador, o presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE) “mexeu os pauzinhos” para garantir uma vaga no Tribunal de Contas para a senhora sua mãe (a dele) Ana Arraes. No frigir os ovos conclui-se que o sistema judiciário que deveria zelar para o cumprimento da lei também a violenta despudoradamente e com o mesmo empenho do Executivo e do Legislativo, os outros dois estupradores da Constituição Federal.


Mas nem tudo está perdido. No momento que a população de qualquer país se encontre desprotegida, explorada, seu trabalho confiscado, massacradas por um modelo econômico que concentra a renda cada vez mais aprofundando as desigualdades, suas instituições corroídas e corrompidas, suas esperanças desfeitas está na hora de assumir o controle da situação utilizando os instrumentos que estejam ao seu alcance, sejam eles quais forem. Contra o povo ainda não inventaram nenhuma arma. Pode-se matar e prender alguns, mas nunca todos. Chegamos ao fundo do poço da imoralidade, corrupção, incompetência, mediocridade, omissão, descaso e conivência com o ilícito, notadamente a partir de 1995 com a eleição de Fernando Henrique Cardoso, em 2003 com Lula da Silva e 2011 com Dilma Rousseff. Somente a sociedade pode estancar a sangria que sucessivos governantes vêm submetendo o país e comprometendo seu presente e seu futuro.


CELSO BOTELHO
21.07.2014






quinta-feira, 17 de julho de 2014

DE VOLTA PARA A LATA DE LIXO




Dona Dilma Rousseff, entre outros tantos atributos depreciadores e alguns impublicáveis, é uma incompetente incorrigível e egocêntrica. Deseja mais quatro anos para provar de vez aos poucos que ainda a celebram com “gerentona” que “jamais na história desse país” houve administração mais caótica, corrupta, incompetente e medíocre. Fosse um campeonato a disputa seria renhida, pau a pau: José Sarney, Collor, Fernando Henrique Cardoso e Lula. Todos notórios abutres. A desadministração Rousseff só não é pior por falta de tempo e é exatamente isto que ela está pleiteando nas urnas em outubro próximo. Tempo para piorar o que já é lastimável. Para os esquerdistas tanto faz se a economia vai bem ou não, posto que tirem proveito de ambas as situações. Todos os candidatos à presidência da República, sem exceção, estão plenamente qualificados para não exercerem o cargo. Nenhum deles possui um projeto para o país, caso possuam está guardado a sete chaves num cofre no fundo do Oceano Atlântico onde ninguém (nem eles) tem acesso. O programa que apresentam é ridículo. Todos são unânimes em combater a corrupção, melhorar os serviços públicos, investir em infraestrutura, controlar a inflação, etc. Porém são incapazes de dizer como fazer e de onde virão os recursos. Só pode ser com o aumento da carga tributária, ou melhor, o crime de extorsão que o governo pratica impunemente contra os cidadãos. Antes da abertura da Copa do Mundo dona Dilma convocou rede nacional para transmitir o que chama de pronunciamento (também chama a quadrilha petista de governo) assegurando que para o evento foram gastos “apenas” R$ 8 bilhões e que para a educação e saúde havia destinado 212 vezes mais, quer seja, em sua própria conta, R$ 1 trilhão e 700 bilhões. Mesmo refugiando-se atrás da fria câmera de televisão e proibindo as emissoras no dia de abertura do evento de mostrá-la no telão foi devidamente vaiada e xingada. Não foi apedrejada porque a FIFA proibiu a entrada de sacos de pedras nas caríssimas arenas. Ora, quanta bondade! Ou esta colossal soma foi surrupiada como é o costume ou a Casa da Moeda ainda não imprimiu cédulas suficientes para acudir uma educação que forma todos os anos milhares de analfabetos funcionais e um sistema de saúde cada vez mais deplorável, desumano, cruel. Há poucas semanas atrás circulou na Internet um vídeo de uma gestante parindo na porta de um hospital público como se fosse um animal qualquer. Cadê o trilhão e bilhões que teve a cara de pau de dizer “destinou” a saúde? Ora, dona Dilma, vá para o inferno (é provável que o diabo a recuse). O seu antecessor chegou a afirmar que “o SUS está a beira da perfeição”, mas quando foi diagnosticado o câncer correu para o hospital Sírio e Libanês. Vocês não valem meia pataca furada.


Dona Dilma aparecerá no horário “gratuito” eleitoral com muitos dados enganadores, imagens bem produzidas de obras inacabadas, superfaturadas, paralisadas, politiqueiras. Dirá que a inflação está sob controle, sob o controle dos especuladores. Seus marqueteiros tentarão vender a imagem de uma administradora eficiente. Tudo ilusão. Dona Dilma não fará referência alguma ao pífio desempenho no PIB durante sua gestão, não mencionará que logo no primeiro ano de seu maldito governo seis ministros foram demitidos por corrupção (nenhum deles foi punido e o patife do Carlos Lupi continua balançando a pança e comandando o ministério do Trabalho). Será omissa quanto à operação lesa-pátria que patrocinou na Petrobrás com a compra da refinaria de Pasadena. As obras da transposição do Rio São Francisco que já sugaram cerca de R$ 10 bilhões dos cofres públicos e encontram-se abandonadas. De igual maneira está a Transnordestina que já descarrilou trem por ausência de dormentes, porém já consumiu bilhões de reais. Nada dirá sobre o engodo de baixar as contas de energia elétrica e depois abrir as burras para as concessionárias e também nada dirá sobre a eminência de haver apagões por falta de investimentos no setor elétrico. Também não explicará aos cidadãos o golpe que está dando na precária democracia brasileira com o Decreto Lei 8.243 que estabelece o Programa Nacional de Participação Social que é, nada mais nada menos, um Estado paralelo ocupado por petistas. Este decreto violenta a Constituição Federal, despreza o Congresso Nacional e afeta a harmonia entre os poderes (pelo menos teoricamente). Com certeza apresentará um balanço positivo sobre a Copa do Mundo esquecendo-se que abriu mão da soberania do país ao atender todas as exigências da FIFA (esquerdista não tem pátria, apenas se servem do país onde nascem). Nada comentará sobre a truculência, arbitrariedade das policias militares em todo o país para conter qualquer manifestação ou mesmo quando uma categoria saía em passeata em greve por melhores condições de trabalho e salários mais justos. Comunista só aceita oposição, protesto e reinvindicação se não estiver no governo. Como gosta de dizer esta mentirosa e guerrilheira de araque são tantos seus “malfeitos” que exigiriam numerosas laudas para descrevê-las.


Dona Dilma antes de ser candidata não era nada e quando deixar a presidência da República (este ano ou em 2018) voltará a ser nada, zero à esquerda e da esquerda, vivera em merecido ostracismo. Poderá tentar reabrir a lojinha de R$ 1,99 com quinquilharias panamenhas. Até mesmo seus áulicos mais empedernidos saltarão de banda, muitos já saltaram desta canoa furada. Afinal é melhor ser naufrago do que afogado. Do pó ao pó. Do lixo ao lixo.

CELSO BOTELHO

17.07.2014